Pular para o conteúdo
Como o vício em celular pode estar atrapalhando sua rotina de escrita

Como o vício em celular pode estar atrapalhando sua rotina de escrita

Marcações:

Por acaso, você sofre só de imaginar ficar longe do seu celular por um período longo de tempo? Cuidado, isso pode ser vício em celular!

Ser viciado no seu smartphone é muito mais comum e  do que você imagina.

Pesquisas apontam que as pessoas consideram seus celulares como parte de sua identidade e perdem horas, todos os dias, usando aplicativos para se entreter.

O problema disso é que o celular acaba se tornando muito mais do que um dispositivo, ele se torna uma fonte de prazer.

E por sua vez, o problema de ele se tornar uma fonte de prazer é que nosso cérebro interpreta a separação física do celular como abstinência, e você começa a se sentir como um dependente químico longe de sua substância favorita.

As consequências podem ser desastrosas porque um vício afasta um indivíduo de sua família e amigos, prejudica sua vida social e profissional e, caso você seja um escritor, rouba suas horas de escrita e sua concentração.

O vício em celular é um problema real e, para ajudar você a superar esse problema, eu trouxe neste artigo algumas informações importantes.

Você vai conferir:

O que é ter vício em celular?
Como o vício em celular atrapalha a escrita
Como se livrar do vício em celular

O que significa ter vício em celular?

Podemos definir um vício como sendo a dependência de uma pessoa pela obtenção de prazer.

Um vício traz ansiedade e angústia, e prejudica a vida de uma pessoa, pois ela acaba apenas tendo olhos para sua necessidade de prazer.

É comum associarmos o vício a uma droga ou substância, mas a verdade é que um vício pode surgir a partir de qualquer fonte de prazer.

E o celular, hoje, com todas as suas funcionalidades e facilidades, acaba se tornando essa fonte de prazer.

Por isso, estudiosos têm falado muito nos últimos anos sobre a nomofobia, que é o nome dado ao vício em celular.

O termo foi cunhado pela YouGov, um instituto de pesquisas britânico, depois que uma determinada pesquisa feita por eles indicou que 88% dos britânicos disse se sentir ansioso, nervoso e preocupado em ficar separado de seu celular por 24 horas.

Desde então, mais pesquisas sobre o assunto têm surgido.

Descobriu-se que pessoas entre 18 e 34 anos na Coréia do Sul enxergam os celulares como parte de sua identidade e que os brasileiros passam, em média, 3h14m conectados todos os dias.

Assim como qualquer vício, a nomofobia prejudica a vida social e profissional de um indivíduo, além de trazer efeitos negativos para o corpo humano.

Como saber se você é viciado no seu celular?

É um pouco difícil conseguir identificar se você está apenas usando o celular ou se você tem um vício. Isso porque a listagem de sintomas da nomofobia podem ser justificados.

Mas leve em consideração a intensidade de cada um deles. Se você sente ansiedade com a separação, talvez não seja um comportamento normal, mas um vício.

Levando essa observação em consideração, confira os sinais de alerta abaixo:

  • Você nunca desliga o telefone porque não consegue;
  • Sempre verifica se tem novas mensagens, e-mails ou se perdeu alguma ligação;
  • Abre as redes sociais o tempo inteiro para verificar notificações;
  • Fica irritado quando está em um local sem wi-fi ou quando os dados móveis não funcionam;
  • Sempre leva o celular para o banheiro com você;
  • Se fica muito tempo sem usar o celular, sente que algo está errado;
  • Faz várias pausas durante o trabalho para verificar notificações no celular;
  • Acorda no meio da noite para mexer no celular;
  • Se sente incompleto quando sai de casa e esquece o telefone;
  • Leva o carregador para todos os lugares porque tem medo de ficar sem bateria.

Como o vício em celular pode estar atrapalhando sua escrita

Agora que você já sabe o que significa ter vício em celular, vamos conversar sobre o que a nomofobia traz de prejudicial para a sua vida e para a sua rotina de escrita.

Como dissemos, os principais problemas trazidos são a ansiedade e a angústia.

Esses sentimentos se apresentam quando o indivíduo fica longe do celular e, dependendo do grau, pode acabar levando à depressão.

Mas para além destes sentimentos, existem três outros grandes prejuízos. Confira:

Problemas de concentração

Um dos maiores problemas trazidos pelo vício em celular é a falta de concentração.

Se você está fazendo qualquer outra atividade, pode estar pensando no que está perdendo ao não olhar para o celular ou scrollar as redes sociais.

Acontece também de você estar realizando uma atividade, mas estar com o celular na mão, achando que está sendo multitarefa.

Porém, infelizmente, nosso cérebro não é bom nisso e você acaba não conseguindo fazer muito bem nem uma coisa e nem outra.

Para escritores, problemas de concentração afetam diretamente o trabalho em andamento.

Se você não consegue se concentrar, não vai conseguir escrever da maneira como quer e nem se aprofundar na história.

Insônia

Outro prejuízo trazido pelo vício em celular é a insônia e, por consequência, falta de descanso.

Por sua vez, a falta de descanso prejudica diretamente a qualidade de operação do nosso cérebro.

Dizem que a melhor hora para escrever é quando recém acordamos, quando o cérebro ainda está descansado e não foi bombardeado de informações.

Porém, quem sofre de insônia ou dorme mal não tem esse mesmo privilégio.

O efeito de insônia causado pelo celular tem razão na “luz azul” emitida por computadores e dispositivos móveis, uma luz que causa efeito de bloqueio na produção de melatonina, a substância que nos ajuda a dormir.

Dificuldade de conexão

Por fim, o último dos prejuízos diz respeito à conexão que criamos com outros seres humanos, essencial para nossa vida em sociedade e também para quem escreve.

Isso porque a conexão nos ajuda a entender a psicologia humana e a criar personagens.

Em um cenário em que você não consegue prestar atenção às pessoas ao seu redor porque está concentrado no seu celular, você deixa passar muitas coisas, como expressões faciais, expressões no discurso e as entrelinhas de uma conversa.

Isso não apenas prejudica sua capacidade de observação, como também impede que você se conecte mais profundamente com seus amigos e familiares.

E isso pode fazer com que você seja isolado, trazendo ansiedade e depressão.

Como se livrar do vício em celular

E agora que você já entendeu como o vício em celular pode estar prejudicando sua escrita, vamos conversar sobre como apaziguar os principais sintomas.

É importante frisar que eu não sou uma profissional de psicologia e que se você sente que precisa de ajuda, precisa buscar um psicólogo.

As dicas que eu darei aqui são reproduções de dicas de especialistas no assunto.

Confira:

  • Quando estiver junto aos seus amigos e familiares, desligue o seu celular. Use a mesma tática quando sentir que está precisando descansar. É preciso, nesse caso, ter força de vontade de não ligar o celular quando a ansiedade bater. Então, se você não tiver essa força de vontade, peça ajuda a um amigo, cônjuge, familiar, ou a alguém que more com você.
  • Tente manter o tempo passado com o celular equilibrado com o tempo passado com seres humanos. Por exemplo, se você percebeu que passa duas horas por dia conectado, busque passar duas horas por dia na companhia de um amigo ou familiar. E nesse caso, não vale usar apps de comunicação.
  • Na hora de dormir, deixe o seu telefone a, pelo menos, dez metros de distância da sua cama. Essa é uma boa tática para evitar pegar o telefone no meio da noite, mas que também vai ajudar a levantar na hora que o despertador tocar.
  • Tente impor um limite nos momentos do dia em que você vai poder acessar o celular. Por exemplo, você pode definir que dentro do seu horário de trabalho, você não pode acessar o celular ou que seu limite de uso é três horas por dia. Para ajudar nisso, existem aplicativos que bloqueiam o celular.
  • Por 30 minutos depois de acordar e por 30 minutos antes de dormir, evite usar o celular. Isso ajuda a manter o seu ciclo de sono intacto, ajudando a evitar a insônia e a melhorar a qualidade de operação do seu cérebro.

Para concluir…

O vício em celular é algo real, natural e recorrente nos dias de hoje.

Os smartphones foram uma ótima invenção para nos manter conectados com quem está longe e para facilitar o nosso acesso à informação, mas eles trouxeram alguns prejuízos com eles.

E para evitar esses prejuízos, é preciso entender que o celular é um meio para adquirir informação e não uma fonte de prazer.

Leia também:

1 comentário em “Como o vício em celular pode estar atrapalhando sua rotina de escrita”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.