Como usar simbologias para dar pistas sobre sua história para o leitor

Como usar simbologias para dar pistas sobre sua história para o leitor

Desde que eu fiz a leitura de Sombra e Ossos, livro da Leigh Bardugo que virou série na Netflix, eu pensei em como todas as simbologias ao redor do personagem Darkling nos entregaram suas intenções.

A história se passa em um mundo de alta fantasia, onde existem Grishas, pessoas que nascem com poderes de manipulação de matéria orgânica e inorgânica ou conjuração de elementos.

Nossa protagonista é Alina Starkov, a conjuradora do sol. Porém, nós também temos o Darkling, general dos Grisha, que é o conjurador das sombras.

Na história, temos o Darkling primeiro como um personagem misterioso, de quem nós não conhecemos as intenções, para depois descobrir seus objetivos.

Mas embora a descoberta desses objetivos tenha sido interessante, de certa forma as simbologias ao redor do personagem já tinham nos entregado a informação.

A protagonista, Alina Starkov, usando seu poder.

O que são simbologias?

Utilizar simbologias para passar uma informação significa utilizar elementos visuais e simbólicos que carregam essas informações com eles para dar o recado.

Por exemplo, a maneira como o luto começou a ser expressado no ocidente foi usando a cor preta. Dessa maneira, uma viúva não precisaria explicar que seu marido tinha morrido em todas as conversas, ela passava essa mensagem por suas roupas.

O mesmo vale para imagens que conhecemos sem nem precisar pensar muito de onde vieram, nós apenas sabemos o que significa.

Por exemplo, o ícone de telefone nos smartphones é um telefone fixo, artigo cada vez menos comum nas casas. Porém, mesmo que nunca tenha utilizado um telefone fixo, uma pessoa sabe que para fazer uma ligação precisa acionar aquele comando.

As simbologias podem vir de todas as formas, seja pelas cores, por um desenho, por um som ou por um nome.

Na série, o personagem ganhou nome de General Kirigan, mas nos livros usa apenas o título Darkling, que significa “aquele caracterizado pela escuridão”.

Símbolos são culturais

Um cuidado que devemos ter ao utilizar símbolos é garantir que as pessoas que vão interpretá-los sabem o que eles significam. Simbologias são culturais e podem significar coisas completamente diferentes em outras culturas.

Por exemplo, enquanto o luto no ocidente é representado pela cor preta, na Índia é representado pela cor branca. Outro exemplo é a preferência das crianças japonesas por brócolis, que fez com a Pixar tivesse que trocar o brócolis por outro vegetal na animação Divertidamente.

E as diferenças não ficam apenas entre países ou idiomas, mas também entre gerações dentro de uma mesma cultura. Existem símbolos e gírias que apenas uma determinada geração compreende e que causa muita confusão com outras gerações.

Por isso, tome cuidado ao criar simbologias, tente se ater apenas àquelas que são universais ou facilmente explicáveis.

Dentre os Grisha, apenas o Darkling utiliza a cor preta em seu kefta.

A simbologia do Darkling em Sombra e Ossos

As primeiras simbologias que me chamaram a atenção para o personagem foram seu nome (Darkling), as cores usadas por ele (preto) e o símbolo (um eclipse) que ele carregava no pescoço como sendo sua representação.

Darkling como nome

O título do personagem, que funciona como seu nome, é uma palavra inglesa para se referir à escuridão, o que remete ao poder que ele tem, mas também suas intenções.

Como adjetivo, a palavra darkling significa “growing dark or characterized by darkness“. Ou seja, aquele que é caracterizado pela escuridão ou que faz o escuro crescer.

O título que o personagem ganha é o nome perfeito para representar seu poder e serve como aviso a quem não o conhece.

Na série da Netflix, o Darkling ganhou nome: General Alexander Kirigan. No audiovisual, Darkling é um título ofensivo. Esse fato muda um pouco a simbologia porque Kirigan não adotou o título para si, apenas é conhecido jocosamente por ele.

O preto como cor

Eu já falei aqui no blog sobre como as cores em O Conto da Aia dão um panorama simbólico para a sociedade daquele mundo e enquanto eu fazia pesquisas para aquele artigo descobri vários significados diferentes para a cor preta.

O mais explícito de todos, o significado que Leigh Bardugo utilizou para o Darkling, é que preto é a cor da escuridão.

Porém, o preto também simboliza o respeito, isolamento, medo e solidão. Em português, o nome da cor vem da palavra latina pressus, que significa compressão, restrição. É uma cor austera e que suga as cores ao redor.

Aplicado ao personagem de Sombra e Ossos, o preto não representa apenas o elemento que ele conjura, mas também seu comportamento em Rakva. O Darkling é respeitado, perigoso e solitário.

Os 5 sistemas de magia mais interessantes em livros de fantasia

Darkling tem uma situação de eclipsar Alina na história.

Um eclipse como símbolo

Em determinado momento da história, Alina percebe que o Darkling tem como símbolo pessoal o eclipse. E ele usa esse símbolo como um pingente.

Novamente, o eclipse funciona para nos falar sobre o poder do Darkling, ele consegue trazer a escuridão e cobrir a luz. Exatamente como um eclipse faz.

Porém, esse símbolo vai um pouco além do significado quando pensamos que Alina é o sol nessa história. E o poder dela é eclipsado pelo dele no clímax do primeiro livro.

Nesse sentido, o símbolo do Darkling não apenas serviu para nos reafirmar seu poder, como serviu para nos dizer suas intenções com Alina.

Como usar simbologias na sua história?

Como falamos nos parágrafos anteriores, as simbologias servem para dar informações aos leitores de maneira não verbal.

E qualquer um pode utilizar esse tipo de comunicação em histórias, você só precisa conhecer formas de utilizar essas simbologias. Por isso, reuni aqui as principais simbologias que você pode utilizar:

Utilize nomes com significados

O dicionário de nomes é o melhor amigo do escritor, especialmente do escritor de fantasia. E os dicionários podem ajudar a entregar pistas para os leitores sobre a personalidade dos seus personagens ou seus destinos.

Que tal, por exemplo, nomear aquela sua personagem que vai se tornar a princesa de um reino perdido de Sarah ou Amira? Ambos os nomes significam princesa. Ou aquele personagem heróico de Márcio ou Geraldo, já que ambos significam guerreiro ou protetor em línguas diferentes?

O significado dos nomes dos seus personagens pode não passar de um easter egg para o seu leitor, mas pode ter certeza de que se ele souber buscar significado na sua história, vai ficar impressionado.

“Alina” é um nome que tem vários significados, entre eles “clara” e “brilhante”.

Dê cores próprias aos elementos essenciais

Cada uma das cores existentes foi adquirindo significado durante o tempo que o ser humano habita a terra. Alguns desses significados não são mais os mesmos hoje, mas a sensação ao ver (e ler) a cor ainda é.

Por exemplo, o vermelho já foi uma cor associada a santos (ao manto de Jesus) e à prostitutas (batom vermelho e luzes dos prostíbulos). Mas apesar disso ainda é uma cor com impacto, que nos faz lembrar do nosso sangue e projeta imagens viscerais na nossa cabeça.

A mesma coisa acontece com outras cores. O marrom nos dá a impressão de calor, mas também de sujeira. O azul é a cor da frieza e da distância, mas também da calmaria. O verde é a cor da natureza e da saúde, mas também já foi visto como a cor da inveja. O branco é a paz e a limpeza.

Existem muitas mensagens que você pode passar apenas indicando a cor com o significado correto na narrativa.

o conto da aia

Todos os personagens de O Conto da Aia usam cores que os separam socialmente e que descrevem sua posição social de acordo com significados.

Fique atento aos objetos

Às vezes, podemos achar que um objeto está em cena apenas por estar, mas ele pode dar muito significado. Por exemplo, o pingente do Darkling não parece nada de mais, mas a forma em eclipse nos passa a mensagem que se concretiza no clímax.

O mesmo sentido você pode dar para outros objetos durante a trama. Por isso, fique atento às descrições de cenas na sua história. Vale mesmo a pena descrever aquela árvore que parece um útero? Talvez não, mas e se você estiver ligando essa cena aos problemas na gravidez da mãe da protagonista, como fez O Labirinto do Fauno? Aí vale a pena.

A questão aqui é cuidar para não desviar a atenção do leitor do objetivo da sua cena, mas sempre dar um significado se for necessário descrever.

árvore labirinto do fauno

Toda a primeira tarefa de Ofélia em O Labirinto do Fauno alude ao fato de a árvore ser o útero de sua mãe, um lugar doente que está sendo sugado por um parasita.

Animais também têm significados

Além das cores, dos nomes e dos objetos, os animais também podem trazer significados para sua história.

Um leão é um protagonista, um animal que exige respeito e que coloca medo nos outros. Já o lobo traz a ideia de uma família unida, o coelho, de fertilidade e o elefante, de fidelidade. Dentro da sua história, você pode ter animais que representam certos aspectos.

Em Sombra e Ossos, por exemplo, a autora traz a figura do cervo, que é um símbolo de pureza e de liberdade. Essa simbologia se une aos símbolos da protagonista.

Alina tem o poder de conjurar a luz do sol, que é pura e brilhante, e pode destruir a dobra com esse poder para dar liberdade a todo povo ravikano. Por isso, esse animal é utilizado na história em ligação com Alina.

Alina, o cervo e a luz solar: liberdade e pureza

Em resumo…

Simbologias estão conosco o tempo inteiro porque crescemos em uma cultura extremamente significativa. Desde as cores até os nomes, passando por objetos e animais, os símbolos podem ajudar a contar uma história de maneira não verbal.

Por isso, se você quer contar uma história em camadas e que deixe seu leitor impressionado, pesquise sobre simbologias.

 



1 comentário em “Como usar simbologias para dar pistas sobre sua história para o leitor”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *