Pular para o conteúdo
Público-alvo: tudo o que você precisa saber, escritor

Público-alvo: tudo o que você precisa saber, escritor

Há algum tempo, eu tenho escrito sobre marketing literário e técnicas de marketing para escritores aqui no blog. E uma constante nesses artigos é falar sobre o público-alvo.

Sempre que um escritor resolve promover qualquer ação de divulgação, ele precisa saber com quem quer falar. Se as ações não tiverem um público definido, todo o esforço morre na praia.

Por isso, neste artigo nós vamos conversar sobre o que é um público-alvo, como definir quem é o público-alvo do seu livro e como o público-alvo é diferente da sua audiência.

Você vai conferir:

O que é público-alvo?
Definir um público-alvo vai limitar suas vendas?
Consumidor ou comprador?
Qual é a diferença entre o público-alvo e a audiência?
Como descobrir quem é seu público-alvo
E agora, o que fazer com essa informação?



O que é público-alvo?

O público-alvo nada mais é do que as pessoas para quem você escreveu o seu livro, as pessoas que tem mais propensão em comprar a sua história. Isso baseado no gênero do livro, no tema e nos assuntos.

Se você escreveu um livro de gênero young adult, por exemplo, o público mais propenso a comprar o seu livro é o público de 18 a 25 anos.

Agora, se você escreveu uma história de romance contemporâneo com uma protagonista mulher que viaja o mundo para se encontrar, o mais provável é que mulheres entre 35 e 50 anos sejam seu público-alvo.

Definir o público-alvo significa definir para quais demografias você vai falar, para qual gênero, faixa etária e interesses você vai produzir conteúdo. A ideia de definir essas demografias é ser certeiro no marketing literário e não gastar saliva com quem não vai querer conhecer o seu livro.

Definir um público-alvo vai limitar suas vendas?

Talvez essa tenha sido uma dúvida que surgiu para você neste momento, mas a resposta é não. Apesar de delimitar demografias, o público-alvo ajuda a comunicação a chegar no público certo. Porém, sem menosprezar ninguém fora dessas demografias.

Vamos tentar imaginar essa situação no mundo físico, e não no digital.

Digamos que você é uma autora de fantasia YA. Então, você pega seus livros e vai para uma praça cheia. Nessa praça, você vai pegar um exemplar e oferecer para quem? Para o homem de cabelos brancos sentado com os netos crianças ou para aquele grupo de adolescentes rindo e ouvindo música? Você se aproxima do grupo de adolescentes. Agora digamos que o homem de cabelos brancos se aproxima de você e pede para comprar um livro para a neta adolescente que não saiu com ele naquele dia. Você diria não porque ele não é seu público-alvo?

A função de estabelecer um público-alvo é você se aproximar de quem mais tem propensão a comprar sua história sem excluir quem não faz parte do grupo. É gastar menos saliva e menos dinheiro tentando vender para quem não está interessado.

Consumidor ou comprador?

O exemplo que eu dei acima traz uma variante interessante nesta equação do público-alvo que é a diferença entre quem compra e quem consome. Esses dois papeis aparecem quando você é um autor que escreve para crianças e adolescentes, principalmente.

Marketing para escritores: por que autores precisam se apropriar da técnica

Isso porque o consumidor de um livro é quem vai ler a história, enquanto o comprador é quem paga pelo livro. Isso força a relação entre autor e público-alvo a ter mais um mediador, que é o comprador.

No caso da divulgação de literatura para crianças e adolescentes, é importante que você tenha dois argumentos de venda, um para o comprador e outro para o consumidor. Por isso, preste atenção em como você aborda os dois públicos. Voltando ao exemplo:

Quando você se aproxima da rodinha de adolescentes você vai dizer que é uma aventura em um mundo mágico cheio de romance. Agora, quando o avô se aproximar perguntando sobre a história, você vai dizer que é uma história empoderadora sobre descobrir seu lugar no mundo.

São dois argumentos diferentes, que atendem a públicos diferentes, mas que vendem a mesma obra. Lembrando que você não pode mentir, nem para um grupo e nem para o outro, você só vai adaptar o discurso e os argumentos de venda.

O que é uma persona e como ela ajuda na divulgação do escritor

Qual é a diferença entre o público-alvo e a audiência?

A mesma distinção entre o comprador e o consumidor precisa ser dada ao público-alvo e a audiência. Porém, enquanto o comprador e o consumidor estão nivelados dentro do público-alvo, a audiência é um grupo separado que não interfere em nenhum deles.

A diferença entre o público-alvo e a audiência é que o público-alvo é o grupo para o qual você escreveu o seu livro, enquanto a audiência é o grupo de pessoas que já escuta o que você tem a dizer e ajuda a pulverizar a mensagem. Vamos voltar à analogia do parque e do livro YA:

Digamos que antes de você se aproximar do grupo de adolescentes, você chegou ao parque com sua família e amigos. Eles estão ali para se divertir, mas antes de fazerem o que vieram fazer, eles escutaram você falar sobre o seu livro. Não interessa a eles porque eles não são seu público-alvo, porém, mais tarde naquele mesmo dia, um dos seus amigos encontrou um grupo de adolescentes e falou do seu livro para eles.

Dessa forma, a audiência pode não ser o seu público-alvo, mas eles escutam o que você tem a dizer, seja na vida real ou na internet. O exemplo mais clássico de uma audiência são seus amigos e família e seus seguidores nas redes sociais.

Como a leitura crítica pode ajudar o escritor a vender mais livros

Na maioria das vezes, esses grupos não são as pessoas que vão comprar e ler o seu livro, mas eles podem conhecer alguém que vai e, se sua mensagem foi poderosa o suficiente, eles vão ajudar a pulverizá-la. Seja compartilhando um post ou indicando um livro fisicamente.

E da mesma forma que você usa argumentos de venda diferentes para o consumidor e comprador, você pode adaptar a mensagem para a audiência também. Por exemplo, em vez de dizer “leia meu livro, é uma fantasia YA” para sua audiência, você diz: “indique meu livro, uma fantasia YA, para quem você acha que gostaria de ler”.

Como descobrir quem é seu público-alvo

Descobrir quem é seu público-alvo pode ser fácil, mas ao mesmo tempo difícil. Isso porque existem algumas demografias complicadas de conseguir, especialmente os interesses do público.

Por isso, quase sempre, suas ações inicias serão um tiro no escuro. Mas vamos conhecer algumas maneiras de montar seu público-alvo.

O que fazer quando você se depara com um livro onde nada acontece?

Se você está começando as divulgações de um primeiro livro, ou de um livro fora do gênero que você escreve normalmente, se basear no gênero e subgênero do livro e na maturidade do tema e do assunto geral, é a aposta mais acertada.

Por exemplo, uma alta fantasia pode ser direcionada a adultos ou adolescentes, tudo vai depender do tema e do assunto. Se você falar sobre o custo da guerra e sobre crença, por exemplo, é muito mais provável que adultos gostem do seu livro. Agora, se for uma história de coming of age com personagens jovens, o público jovem adulto tem mais chance de ser seu público-alvo.

Nesse caso, vale você responder estas quatro perguntas:

  • Qual é o gênero?
  • Qual é o subgênero?
  • Qual é o tema da história, a “moral” que você quer passar?
  • Qual é o assunto principal e os assuntos satélite?

A partir do cruzamento das respostas, você faz outra pergunta:

  • Quem lê esse tipo de história?

Por exemplo, você escreveu uma fantasia YA. Quem lê fantasia YA no Brasil? Certo, agora a moral da história é encontrar seu lugar no mundo. Quem lê fantasia YA e quer descobrir qual é seu lugar no mundo? Beleza, última agora. O assunto do livro é uma princesa derrubando um homem que usurpou seu trono. Quem lê fantasia YA, quer descobrir seu lugar no mundo e se interessa por princesas derrubando governos ilegítimos?

Este é seu público-alvo inicial.

A ciência diz que devíamos ler livros todos os dias. Por quê?

Porém, é só com o andar da divulgação e com as primeiras avaliações e resenhas que você vai conseguir informações sobre quem é seu verdadeiro público-alvo. As perguntas dessa vez são:

  • Qual é o perfil comum das pessoas que avaliam positivamente seu livro?
  • Qual é o perfil médio de quem compra o seu livro?

Essa última informação você pode conseguir observando seus compradores, caso venda fisicamente, ou pedindo um relatório de demografias para sua editora.

E agora, o que fazer com essa informação?

Certo, agora que você chegou até aqui e sabe como descobrir quem é seu público-alvo, que já tem uma audiência e que precisa conversar com o consumidor e o comprador… o que fazer com essa informação?

É simples, escreve em um papel e deixe a vista. Sempre que você pensar em fazer qualquer ação de divulgação do seu livro, olhe para esse papel e pense no que aquele grupo de pessoas espera de você.

Confira 5 dicas de livros rápidos para ler em um dia

Por exemplo, você quer começar a produzir conteúdo no Instagram. Certo, como esse conteúdo vai conversar com o público-alvo e com a audiência? O seu público-alvo realmente está no Instagram ou para falar com eles você precisa estar em outra plataforma? Essa é uma pergunta importante também e que define muitas das suas ações.

Um escritor de YA que divulga no Facebook dificilmente está falando com jovens adultos porque o Facebook não é uma rede usada pelos mais jovens. Assim como um escritor de romances policiais tradicionais pode não encontrar muito resultado no TikTok porque seu público-alvo, provavelmente, não está lá.

O mais importante é que você sempre pense no seu público-alvo quando estiver montando qualquer ação de divulgação ou plano de comunicação. Porque, assim como eu comentei no segundo parágrafo, nenhuma ação importa se não for direcionada ao público correto.

Leia também:

O que é uma persona e como ela ajuda na divulgação do escritor

3 sites de escritores nacionais para inspirar o seu espaço na internet

Você não precisa escrever para todo mundo, e eu também não

 



2 comentários em “Público-alvo: tudo o que você precisa saber, escritor”

  1. Olá. Uma dúvida: quando defino meu público-alvo como “adulto”, estou me referindo a obras com palavras de baixo calão, erotismo, etc. ou qualquer assunto direcionado ao público adulto? Por exemplo: um livro de finanças seria destinado a um público adulto ou geral?

    1. Oi Jorge! Não, o público adulto é um público adulto mesmo. Quando falamos sobre livros eróticos, nós estamos nos referindo a um livro voltado para o público adulto no gênero romance erótico. Já o livro sobre finanças seria voltado ao público adulto, mas com foco em finanças. O público é adulto, mas isso não tem nada a ver com gênero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.