Pular para o conteúdo
O que você ganha publicando em antologias de contos e coletâneas?

O que você ganha publicando em antologias de contos e coletâneas?

Uma das perguntas que eu precisei responder esses dias foi: e o que você ganha, enquanto escritora, ao participar de uma antologia de contos? Precisei responder essa pergunta porque, fora o livro que publiquei de maneira independente, minhas outras publicações foram todas as antologias e revistas.

E para resumir a resposta, posso dizer que o que um escritor mais ganha ao participar de uma antologia de contos é visibilidade, networking e experiência. Neste artigo, eu vou tentar falar um pouco sobre cada um e sobre a minha perspectiva publicando em coletâneas.

Antes de tudo, o que são e como funcionam as antologias de contos?

Antologias de contos são coletâneas de um determinado tema promovidas por editoras. Normalmente, as antologias são abertas ao público geral e qualquer um pode enviar seu conto. Uma vez enviado, o conto passa pela avaliação dos organizadores, que verão se o conto faz sentido para a antologia e se é interessante enquanto literatura.

Existem muitas editoras do país que trabalham com antologias. A primeira editora na qual eu publiquei foi a Editora Draco, ainda em 2014. Eles tinham um projeto de contos de romance sobrenatural, chamado “Amores Proibidos” e o meu conto figurou no quarto volume da série.

Mais recentemente eu fui aprovada para publicação em uma antologia de contos da Psiu Editora, sobre amores clichês. E há poucas semanas, descobri que seria uma das autoras do Multiverso Pulp, da Editora AVEC, que é organizado pelo Duda Falcão.

Mas além destas, existem diversas outras editoras. E uma maneira fácil e confiável de estar sempre bem informado sobre editais de antologias de contos abertos é acessando o site Concursos Literários. Foi através deste site que eu descobri sobre todos os editais que já participei.

Sobre participação e pagamento

É sempre importante que, antes de enviar seu texto para uma coletânea, você tenha duas informações essenciais:

Preciso pagar para participar?

Pode até ser um preconceito meu, mas eu nunca participo de antologias de contos que eu preciso pagar para submeter meu conto. Posso estar completamente errada, mas me parece algum tipo de golpe e eu sempre torço o nariz. Então, eu nunca participo de coletâneas pagas.

Se para você, isso não faz diferença, vá em frente. Inclusive, eu sei de antologias de contos que cobram um valor pelo trabalho inicial do organizador. O valor paga pela leitura crítica e pela edição. Porém, se você está lidando com uma editora que está há algum tempo no mercado, normalmente, ela vai ter como arcar com o valor deste trabalho.

Quanto vou receber por isso?

Outro aspecto importante é saber o que você ganha com isso, literalmente. Na minha experiência com antologias, já experimentei receber uma porcentagem do valor de venda, exemplares publicados ou ambos. Das coletâneas que conheço, esses são os “pagamentos” mais comuns aos autores.

Por exemplo, minha participação na antologia da Editora Draco foi baseada em porcentagem sobre vendas e pagamento desse valor quando chegasse a R$100. Depois de 6 anos da publicação da coletânea, ainda não recebi o suficiente para fechar o valor. De maneira geral, posso dizer que não recebi nada.

A antologia de contos que participei da Psiu Editora é um contrato misto, sendo que a publicação foi feita por meio de financiamento coletivo. Enquanto autora, tenho direito a duas cópias dos livros + uma porcentagem de venda. E há alguns meses, a editora fez um projeto no Catarse para arrecadar fundos para imprimir as cópias.

Por fim, a Editora AVEC oferece cópias dos livros como “pagamento”. Por isso, fique sempre de olho na recompensa pelo seu conto e pese o que vale mais para você.

Enfim, o que você ganha publicando em antologias de contos?

Depois de explicar como foi a minha experiência com três coletâneas de contos diferentes, você deve estar pensando se vale a pena mesmo participar? Do ponto de vista financeiro, não vale. Mas a verdade é que as antologias de contos servem para muito mais do que pagar o autor.

Ter um conto publicado em uma antologia dá visibilidade à sua escrita, ajuda a criar networking e profissionaliza a sua carreira. E isso é algo que um escritor iniciante não pode se dar ao luxo de deixar passar. Por isso, presta atenção nessas dicas:

Você ganha visibilidade

Por experiência própria, posso dizer que um leitor tem muito mais chances de saber quem você é, se o seu nome estiver atrelado ao de uma editora. Publicar um livro solo de maneira independente rende frutos financeiros somente para você (e para o KDP da Amazon, claro), porém é muito mais provável que você não tenha um budget para divulgação, ao contrário das editoras.

Quando uma editora lança uma antologia, ela tem um orçamento pensado para marketing literário. Ou seja, blogueiros, booktubers e bookstagramers vão receber o livro em regime de parceria. O livro vai estar disponível no site da editora e, às vezes, vai até aparecer em anúncios na internet.

Isso é a visibilidade que uma antologia entrega, o seu nome aparecer atrelado a uma editora sem que você precise escrever um livro inteiro ou que enfrente outros muitos autores na busca por uma publicação solo. Além disso, o seu nome fica conhecido por aquela editora, que é o ponto que vamos falar abaixo.

Você constrói networking

Uma vez que você é selecionado para participar de uma antologia, o seu nome e o seu estilo de escrita, ficam conhecidos dos editores e organizadores. Quando eu publiquei o conto pela Draco, a organizadora da coletânea era a Ana Lúcia Merege. Foi ela quem leu o meu conto, editou meu conto e deu o ok final.

Pode não parecer muito, mas quando eu encontrei a Ana na Odisseia de Literatura Fantástica em 2019 e comentei que tinha publicado no Meu Amor é um Sobrevivente, ela lembrou de mim e me perguntou o que eu andava escrevendo. Isso vale também para os editores-chefes de editoras. Se você já publicou em antologias pela editora, a chance de esses editores aceitarem ler um original seu é muito maior.

Além disso, também existem os outros autores que vão publicar na coletânea junto com você. Eles podem ser iniciantes como você é, mas também podem ser autores veteranos, ou já publicados. Na mesma coletânea da Draco que eu publiquei, a Karen Alvares também publicou. Ela é uma autora que já tem um monte de livros publicados e possivelmente tem uma lembrança de mim por causa disso, assim como eu tenho das outras autoras dessa coletânea.

Por isso, não subestime o networking que você pode construir publicando em uma antologia de contos!

Você profissionaliza a sua escrita

Esse talvez seja um dos pontos mais legais de participar de antologias de contos: profissionalizar sua escrita e começar a construir a sua carreira. Publicar pela primeira vez é um orgulho, a gente sente que as coisas começaram a dar certo e que não é pretensão mais dizer que somos escritores. Publicar valida a carreira de escritor, nos torna profissionais. E esse é o primeiro sentimento de profissionalização que uma antologia pode trazer.

O segundo sentimento vem na edição. Pela primeira vez, alguém vai ler a sua história com atenção e vai indicar onde você pode melhorar. E o melhor disso é que não são nossos amigos lendo, é um profissional, alguém que faz isso para viver. Ou seja, essa pessoa sabe do que ela está falando.

Nos profissionalizamos ao aprender com a edição

E ter um texto analisado pelo editor, receber os apontamentos e entender as nuances da sua própria escrita é um aprendizado muito grande. Eu lembro de quando a Ana Lúcia Merege estava editando o meu conto e ela comentou que a protagonista nunca iria fazer tal coisa dado o comportamento e personalidade dela até o momento na história. Minha primeira reação foi dizer que não, mas olhando de novo o texto, eu vi que fazia sentido.

E profissionalizar a escrita é sobre isso, sobre receber uma crítica e entender onde você pode melhorar. Então, depois disso, eu comecei a tomar mais cuidado com as atitudes dos meus personagens, entender se era coerente ou não com o que tinha dito sobre eles. Eu consegui me tornar mais profissional.

Por isso, talvez, consegui publicar mais contos depois disso. Tanto que quando recebi a primeira edição do conto que mandei para a Psiu Editora, quase não havia mudanças. Agora eu fico curiosa para ver como será a edição do Duda Falcão para o meu conto enviado para o Multiverso Pulp.

Em conclusão…

Um autor tem muito mais a ganhar ao publicar em uma antologia de contos do que apenas o financeiro. Existe a experiência, o networking e a visibilidade. Pontos talvez muito mais importantes para quem está começando do que ganhar dinheiro. Continue acompanhando o blog para mais conteúdos como este!

Um breve edit: depois de escrever esse artigo, descobri que vou participar de mais uma antologia de contos organizada pelo Duda Falcão, o vol. 5 de Multiverso Pulp, uma coletânea de tema multipunk!

 



4 comentários em “O que você ganha publicando em antologias de contos e coletâneas?”

  1. Escritora Mariana Bortoletti
    Concordo com tudo que a senhora disse. Eu participei da única coletânea à qual concorri gratuitamente. Classifiquei-me em outras que tinha que pagar a edição e renunciei. Concorri e fui premiado entre os primeiros /ou selecionado em um total de onze concursos de contos e poemas, entre vinte cinco a que concorri. Um deles com prêmio em dinheiro (como sói acontecer, pequeno).
    Chequei a um momento que desejo algo mais. Gostaria de ter mais visibilidade que essas coletâneas oferecem. Dinheiro é bom, mas não é primordial. A senhora conhece editoras grandes que publiquem contos?
    Agradeço a atenção.
    Ilson J. da Silva e-mail: ilsonjoaquim1@gmail.com

    1. Adorei seu texto, Mariana! Vou procurar seus contos depois, fiquei curioso por eles. Sou um escritor iniciante – ou, no pior dos casos, um aspirante – e venho me perguntando se vale ou não a pena esse tipo de publicação. Depois de ler suas palavras, percebi que vale sim.
      Ah, e parabéns por ter sido mais uma vez selecionada!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.