Pular para o conteúdo
O que é uma persona e como ela ajuda na divulgação do escritor

O que é uma persona e como ela ajuda na divulgação do escritor

Nós já falamos aqui no blog sobre a Jornada de Compra, que é o caminho que um leitor faz desde descobrir que seu livro existe até o momento em que ele realiza a compra.

Dentro do contexto da jornada de compra, nós trabalhamos o caminho que uma pessoa faz. Porém, não utilizamos uma pessoa em específico, mas a representação de um grupo de pessoas (o público-alvo) em um perfil.

No marketing literário mais direcionado, nós chamamos essa personificação do público-alvo de persona, uma maneira muito interessante de representar e personalizar os seus leitores ideais.

O que é uma persona?

Uma persona é, literalmente, a personalização do seu cliente ideal baseado em dados.

É uma maneira que profissionais de marketing literário encontraram para conseguir personalizar a comunicação de um produto/serviço.

E essa abordagem funciona no sentido de que é muito mais empática para as necessidades do público-alvo e como o produto/serviço é capaz de ajudar a resolver problemas.

Personas X Públicos-alvo

Estou falando em público-alvo e personas neste artigo como relacionados, mas existe uma diferença entre os dois. Em linhas básicas,

  • o público-alvo é um grupo demográfico sem personalização, um conjunto de dados. Por exemplo, o grupo para o qual você quer vender o seu livro é mulher, tem entre 18-30 anos e gosta de ler ficção científica. As informações aqui podem ser reais e trazer resultados, mas elas são menos personalizadas.
  • já na abordagem de persona, temos esses dados personificados num perfil. Teríamos, então, a Maria da Silva, que tem 24 anos e é muito fã dos livros de ficção científica da Ursula Le Guin.

As informações que temos são as mesmas, mas a abordagem das personas é muito mais empática e acaba sendo mais certeira.

Utilizando as personas, em vez de fazer um anúncio dizendo: “você gosta de ficção científica? Então, conheça o meu livro!”, você vai poder dizer: “Se você gostou de A Mão Esquerda da Escuridão, da Ursula Le Guin, precisa conhecer este livro!”.

Como criar uma persona?

Como eu disse acima, as personas são baseadas em dados e, por isso, você precisa ter em mãos as demografias dos seus leitores.

Isso quer dizer que você precisa conhecer melhor as pessoas que leem os seus livros, as pessoas que seguem você nas redes sociais e as pessoas que entram no seu site ou canal.

E você faz isso acessando as informações de engajamento que cada plataforma entrega.

Por exemplo, no Instagram e no Facebook, você consegue ver a idade média de quem segue você, o gênero declarado, de onde essas pessoas são e quais são os posts com os quais eles interagem mais.

Já no seu site ou canal de YouTube, as estatísticas conseguem entregar mais informações: interesses gerais, se o acesso é feito pelo celular ou desktop, quais são os conteúdos mais acessados e quais foram as palavras-chaves que atraíram até ali.

Além disso, os canais de venda podem trazer algumas informações extras sobre o consumo: que outros livros o seu leitor comprou, que outros livros ele lê, quais são os gêneros e subgêneros de interesse, etc.

Como a leitura crítica pode ajudar o escritor a vender mais livros

O que precisa conter nas fichas de personas

Para criar uma persona completa, você vai precisar de, basicamente, 3 categorias de informação: demografia, interesses e dor.

  • Demografia: você precisa listar nome, sobrenome, estado civil, gênero, idade, faixa salarial, profissão, se tem filhos, com quem mora… quanto mais detalhes demográficos, mais palpável fica a persona.
  • Interesses: eles precisam aparecer, mesmo que não tenham relação direta com o seu livro, o produto que você quer vender. Por exemplo, a persona gosta de fazer o que nos finais de semana? O tempo livre dela é gasto com o quê? Quais são os aplicativos que ela tem no celular? Que programas assiste na TV? Quais são os sites que ela acessa? Como é que ela se informa sobre notícias?
  • Dor: a necessidade da persona, ou dor, é uma das partes mais importantes da criação. O que falta na vida da sua persona que apenas o seu livro vai conseguir suprir? Por que essa persona se interessaria pelo seu livro? Como você, enquanto autor, pode ajudar essa persona? Pode ser algo simples, como “A Maria da Silva procura livros de ficção científica escrito por mulheres e eu sou uma autora mulher”.

Como a persona ajuda na divulgação do escritor?

Nesse ponto, você deve estar se perguntando por que se dar ao trabalho de criar uma persona. Ou mais de uma, dependendo dos temas e gêneros que você escreve.

A resposta é: para personalizar a comunicação do seu trabalho e facilitar para que a pessoa certa esteja recebendo o conteúdo certo sobre o seu livro.

Você pode não pensar em uma persona enquanto está escrevendo, mas no momento de vender o livro é muito mais garantido que você vá conseguir vender para grupos específicos do que para o público geral.

Se você é autor de ficção científica e quer vender um livro que se passa no espaço, não adianta nada querer vender para um público amplo, que lê desde auto-ajuda até literatura hot.

ler-livros-todos-os-dias

Divulgar seu livro para um grupo que não seja o seu público-alvo (personificado na persona) só vai fazer com que você perca tempo, dinheiro e esforço de divulgação.

Por isso, mesmo que você não queira construir uma persona com todas as demografias, interesses e dores que eu citei no tópico anterior, busque conhecer melhor o seu público-alvo. Tenho certeza de que a sua divulgação será muito mais eficaz!

Em conclusão…

A persona é uma ferramenta muito interessante para que o escritor independente, que também é divulgador, consiga personalizar a comunicação das suas obras. Com as personas, é possível personificar diversos públicos e pensar com mais carinho em campanhas de divulgação, tornando-as mais certeiras.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.