Pular para o conteúdo
O melhor conselho de escrita que eu já recebi veio de uma youtuber

O melhor conselho de escrita que eu já recebi veio de uma youtuber

Marcações:

Eu nunca fui uma escritora planejadora.

Talvez porque o meu background de narrativas longas sejam as fanfics e, quando nós escrevemos histórias em formato folhetim, o planejamento inicial sai de campo e a gente prioriza a opinião do público.

Por isso, eu sempre fui aquela escritora que sentou na frente do computador com uma ideia na cabeça e foi escrevendo até a história se completar sozinha.

Claro que eu revisava e, caso não fizesse sentido, reescrevia algumas partes. Porém, eu nunca investi mais do que uma tarde no planejamento de uma história.

Na verdade, eu começava com uma cena que eu queria escrever e construía minha história a partir daí, tentando descobrir o final e a jornada dos personagens enquanto escrevia.

Inclusive, eu trouxe uma série de artigos aqui para o blog há alguns meses falando sobre essa minha “técnica”. Algo que eu não uso mais desde que eu comecei a acompanhar a Abbie Emmons no YouTube.

BANNER DE SERVIÇOS EDITORIAIS

O plot da sua história não interessa

A Abbie é uma escritora que usa o youtube para ensinar outros escritores a escreverem histórias que importam.

A filosofia que ela ensina, e usa, é a de escrever uma história com a qual o leitor vai se identificar a um nível emocional, uma história que priorize a jornada dos personagens e não o plot.

Eu posso resumir a ideia toda em uma frase:

Uma história que importa não é aquela que foca no que acontece com os personagens e nem em como as coisas acontecem para o personagem. Uma história que importa, e que vai acompanhar o leitor para o resto da vida dele, é aquela que foca em como essas coisas que acontecem afetam os personagens e importam para eles.

O resultado é o leitor se sentir vivendo aquela história, se colocando no lugar do personagem e sentindo tudo o que acontece na trama como se estivesse acontecendo com ele.

Isso porque o leitor vai conseguir entender por que as coisas importam para o personagem e não só acompanhar o personagem sendo o saco de pancada do plot.

Caso não tenha ficado claro, esse foi o melhor conselho de escrita que eu já recebi.

Desde que eu comecei a acompanhar o canal da Abbie e entender como construir uma história a partir desse ponto de vista, a minha escrita mudou de maneira drástica.

Ou seja, eu deixei de ser a escritora que deixa as coisas acontecerem com o personagem para ser a escritora que planeja o que vai acontecer, como ele vai reagir, quais caminhos ele poderia seguir e como cada coisa vai transformá-lo.

E isso ao mesmo tempo em que é maravilhoso, também é um saco.

O lado bom de priorizar os personagens

Seguir os conselhos da Abbie me fizeram ser uma escritora que está sempre questionando os personagens.

Eu percebi que estou sempre fazendo fluxogramas, que estou sempre perguntando por que e que tento sempre ver todos os caminhos antes de fazer o personagem escolher.

Tudo isso baseado no desejo deles, no medo, no conflito interno, e na verdade e na mentira na qual eles acreditam.

Por isso, o lado bom de pensar em como o plot afeta os personagens e por que eles se importam é criar um protagonista real, um protagonista que age como um ser humano e que é dono do próprio destino, mesmo que ele aja por medo.

Uma reclamação que eu sempre ouço de leitores é que o protagonista não faz nada e que as coisas apenas acontecem com ele. Pois então, priorizar o personagem evita esse tipo de crítica.

Além disso, dá toda uma dimensão mais real para a história e um foco psicológico.

O leitor vai conseguir entender por que um personagem teve tal atitude e por que escolheu tal caminho, criando empatia.

O lado ruim de priorizar os personagens

Porém, ao mesmo tempo em que esse conselho de escrita é ótimo, ele também é terrível.

E isso porque é muito mais trabalhoso, já que você vai ter que pensar no psicológico do personagem desde que ele nasceu, vai ter que pensar no seio familiar dele e nas verdades e mentiras que ele acredita, além de pensar em um plot que faz sentido.

Não é fácil escrever uma história a partir desse conselho porque vai demorar para chegar o momento de sentar e escrever, já que você vai ter que planejar tudo, absolutamente tudo, antes de sequer pensar no capítulo 1.

Como consequência, planejar dessa maneira é bastante exaustivo.

Eu estou usando o conselho da Abbie para escrever o meu primeiro romance e posso dizer para vocês que faz mais de 30 dias que eu estou apenas investigando o psicológico da minha heroína e da minha vilã.

Porém, estou pressentindo que o resultado vai valer a pena porque tudo está fazendo sentido.

Em resumo…

O conselho de escrita que eu recebi pelos vídeos da Abbie Emmons é o melhor que eu já recebi em todos os anos que eu estudo escrita criativa.

Entender que o plot não é o que importa, mas sim a jornada dos personagens, mudou a minha maneira de escrever e tenho certeza de que vai mudar a percepção dos meus leitores também.

E agora, eu é que pergunto: qual foi o melhor conselho de escrita que vocês já receberam? Deixa aqui nos comentários!

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.