Pular para o conteúdo
O que fazer quando você se depara com um livro onde nada acontece?

O que fazer quando você se depara com um livro onde nada acontece?

Recentemente, eu me vi as voltas com a leitura de um livro em que nada acontece.

Era o segundo de uma trilogia fantástica escrita pela autora V.E. Schwab, chamado “Um Encontro de Sombras”, que cobria o dia a dia dos personagens depois de uma jornada conturbada no primeiro volume.

O livro do meio de uma trilogia, normalmente, é usado como intermediário entre dois grandes acontecimentos. Nele, nada de muito importante acontece, e foi isso que eu encontrei na narrativa de V.E. Schwab.

A autora usou o segundo volume para preparar o terreno para o que virá em seu terceiro livro. Ela se preocupou em aprofundar personagens e seus objetivos pessoais.

Se pensarmos em como estamos acostumados, como leitores e autores, a acompanhar cenas de ação e em como nossa cultura pop adora plot twists, livros parados e descritivos acabam se tornando extremamente chatos.

Então, a pergunta que fica é: o que fazer quando você se depara com um livro onde nada acontece? Ou pior, o que fazer se você perceber que está escrevendo uma história sem nenhum evento grandioso?

Seja como leitor ou como escritor, é preciso ter em mente que sempre acontece alguma coisa em um livro, por mais que pareça ser o contrário.

O desenvolvimento de personagens é algo que acontece. Assim como a recuperação desses personagens depois de um grande evento.

O dia a dia de pessoas comuns é algo que acontece e devaneios sobre a vida também é algo que acontece.

Quer um exemplo? Jane Austen é uma das autoras mais celebradas da literatura mundial e seus seis livros são escritos de uma maneira onde “nada acontece”.

Orgulho e Preconceito, que é sua maior obra, é uma narrativa que segue personagens por suas jornadas diárias sem grandes eventos, mas que, ainda assim, consegue imprimir a sociedade da época de maneira impressionante.

Em uma grossa visão, nada acontece nos romances de Austen, mas gostamos deles mesmo assim.

Se você se descobrir leitor de uma narrativa que acompanha personagens em histórias sem altos e baixos, procure prestar atenção nos detalhes porque uma trama sem altos e baixos, normalmente, consegue focar em personagens e na psicologia humana.

Agora, se o seu caso for o de um autor que descobriu estar escrevendo um livro onde nada acontece, uma dica: tenha uma mensagem para passar e foque nessa mensagem.

Em resumo, sem um grande evento, o leitor precisa ter outros motivos a se agarrar a sua história.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.