Pular para o conteúdo
frances-hogdson-burnett

As protagonistas inesquecíveis de Frances Hodgson Burnett

No início do século XX, a autora inglesa Frances Hodgson Burnett trouxe ao mundo duas histórias sobre perda e magia, duas histórias protagonizadas por meninas que precisam enfrentar o luto e encontrar a alegria da vida novamente.

Mary Lennox e Sara Crewe são essas meninas, duas das melhores personagens infantis que a literatura já viu.

Frances Hodgson Burnett tem uma história e tanto. Ela é uma mulher que precisou viver de literatura desde que se tornou adulta, já que era dela a única renda que entrava em casa.

Desde muito cedo, Frances precisou se virar e enfrentar situações tristes em sua vida pessoal que transformaram a experiência de suas protagonistas.

O Jardim Secreto

Os dois maiores sucessos da autora já se transformaram em filme e são adorados por uma legião de pessoas, especialmente porque trazem temas pesados para o universo infantil, algo que não imaginam que as crianças devam experimentar, mas que elas experimentam mesmo assim.

Em O Jardim Secreto, por exemplo, Mary Lennox foi criada sem o amor dos pais, nunca teve uma boa convivência com sua família e isso a transformou em uma criança ranzinza, feia e mal educada.

Quando perde os pais, ela vai morar com o tio na Inglaterra e vê sua vida se transformar ao conhecer pessoas que a ajudam a ver que ainda é uma criança e que há muito no mundo ainda para ver.

De certa maneira, o mesmo acontece com Sara Crewe, protagonista de A Princesinha.

A Princesinha

Criada com toda riqueza, essa menina se vê pobre e orfã, precisando lidar com um mundo frio e cruel que não acolhe as crianças apenas por serem crianças.

Sara precisa encontrar a magia nessa nova realidade, assim como sempre fez com tudo em sua vida, e o resultado é que ela consegue o que tinha de volta.

Porém, ela não volta para a vida que tinha com os mesmos olhos, ela volta transformada, volta como uma menina que enxerga a realidade dos outros, enxerga como a perda transforma as pessoas.

Em ambas as histórias, as protagonistas enfrentam períodos de luto pesarosos e precisam passar por cima dessa dor para continuar vivendo.

O mundo não para com a morte dos pais de Sara e Mary, pelo contrário. E, mesmo sendo crianças como são, elas continuam sendo fortes.

E o mais interessante sobre tudo isso é que Frances Hodgson Burnett não subestima seus leitores.

Ela sabe que crianças passam por provações. Sabe que podem ficar sem dinheiro e que precisam trabalhar para ajudar em casa. Mas ela também sabe que a magia é parte essencial de ser criança.

Para Mary, a magia estava em encontrar um jardim perdido e restaurá-lo para que aquele jardim servisse para levar alegria a todos. Para Sara, a magia estava em sua própria imaginação, em acreditar que tudo ia melhorar.

Frances Hodgson Burnett trouxe a magia para o terrível mundo real e eu amo essa autora por isso.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.