Pular para o conteúdo

Cumprir estas 3 etapas ajuda a evitar o bloqueio criativo

Marcações:

O bloqueio criativo é o grande inimigo do escritor, embora seja um companheiro constante.

Quem nunca sentou em frente ao computador e ficou olhando aquela página em branco sem ter ideia do que escrever?

Porém, existem alguns exercícios e manobras que podemos fazer para evitar o bloqueio criativo.

Em 2015, eu fiz uma oficina de escrita cheia de exercícios para evitar o bloqueio e fiz um relato sobre ela aqui, caso você queira conferir.

E mais recentemente, descobri que cumprir etapas de um processo ajuda a evitar esse inimigo.

É esse processo, e suas etapas, que eu vou compartilhar com vocês hoje.

3 etapas para evitar o bloqueio criativo

Em 2019, eu participei do NaNoWriMo e consegui cumprir o desafio de escrever a primeira versão de um manuscrito em 30 dias.

Eu nunca antes tinha conseguido algo assim, então fiquei pensando em todo o processo daquela edição e entendi o motivo: eu acabei desenvolvendo um processo em etapas que se repete em ciclos até que o manuscrito esteja pronto para a leitura crítica.

Eu descrevi cada uma das etapas aqui embaixo:

1. Tenha um planejamento

Eu comecei o desafio com uma história planejada. Ou seja, eu sabia onde começava, o que era o miolo e onde terminava.

Eu também sabia quais eram os desafios da minha protagonista e tinha alguns pontos-chave, coisas que precisavam acontecer, delineados.

Já ouvi de escritores, e percebi ser verdade, que se um autor tem um planejamento, ele nunca vai ter bloqueio criativo. Isso porque escrever um livro é muito mais sobre organização e consistência do que sobre inspiração e criatividade.

Por isso, antes de sentar para escrever, você precisa saber que história quer contar, quem são seus personagens e como eles vão chegar do ponto A ao ponto B.

É sempre bom, também, que você tenha um esqueleto da história e um guia do que vai acontecer em cada capítulo.

Depois que o planejamento estiver definido, e você souber o que quer escrever, pode abrir o documento em branco no computador sem medo do bloqueio criativo.

2. Escreva sem se importar

Munido do planejamento, você pode começar a colocar a história no papel.

E nesse momento, existe uma máxima para evitar o bloqueio criativo: escreva sem pensar e sem se importar.

Apenas coloque a história no papel e deixe qualquer preocupação com estilo, fluidez e coerência para depois.

A segunda etapa é sobre escrever sem edição, é apenas vomitar as cenas que estão na sua cabeça no documento em branco.

E vale qualquer coisa: escrever fragmentos que não se encaixam ainda, escrever o final antes do começo, escrever só diálogo sem contexto no meio… o importante é escrever.

Você vai perceber que apenas deixar as palavras saírem vai fazer seu manuscrito andar mais rápido e o bloqueio desaparecer.

Logo, você vai ter toda a história que precisa no papel, todas as cenas e toda a jornada.

Tudo pronto para o momento da edição, que é a próxima etapa.

3. Chegou a hora da edição

Enfim, agora que o manuscrito sem edição nenhuma está terminado, chegou o momento de olhar para ele com olhos críticos.

Já adianto que a primeira impressão sobre o que você escreveu sempre vai ser: “mas que m#rda é essa?”, porém, fique calmo.

Nesse momento, você vai reler tudo o que escreveu e já pode começar a editar o estilo de escrita, cenas que não fazem sentido e erros de digitação ou português.

É nesse momento que você também vai começar a perceber algumas incoerências na história inteira ou situações das quais você sentiu falta.

Por exemplo, personagens que não estão agindo como deveriam, tramas que só atrasam a história, cenas que precisam ser melhor desenvolvidas, motivações que ainda estão fracas.

E tudo isso resulta no ciclo de 3 etapas voltar a acontecer. Raramente, usando esse método, você vai conseguir chegar ao final da primeira versão do manuscrito satisfeito com o que encontrou.

O mais provável é que a edição, essa leitura crítica que você mesmo faz, faça com que você volte ao planejamento.

E está tudo bem.

A minha experiência com as 3 etapas

A repetição do ciclo foi o que aconteceu comigo. Eu reli todo o meu manuscrito e percebi que precisava arrumar muitas coisas:

  • meus personagens precisavam de motivações melhores para agir como agiam;
  • eu precisava de um tema central no qual as jornadas de todos os personagens girassem em torno;
  • eu precisava de uma mensagem que a história passasse;
  • eu precisava de um planejamento de capítulos (coisa que eu não tinha feito antes);
  • e precisava que essa história se localizasse melhor no tempo porque eu percebi que falava sobre início do ano letivo em um capítulo, mas no seguinte já era inverno.

Por isso, eu voltei ao planejamento e criei ficha de personagens, criei um guia de capítulos com a data em que cada capítulo acontecia, criei um documento com o problema de cada personagem e como ele seria resolvido e dei um tema geral para a história, algo para guiar todas as tramas e atitudes.

Uma dica geral

Crie o hábito de trabalhar na sua história todos os dias.

No meu caso, eu deixei o manuscrito terminado no NaNoWriMo de 2019 de lado e não trabalho nele há um ano.

Agora em 2021, eu comecei a escrever um novo manuscrito usando as 3 etapas e tem funcionado.

Eu uni as etapas à obrigação de escrever um mínimo de palavras por dia e, em apenas 4 dias, já consegui escrever o primeiro rascunho da primeira parte da história.

Foram 10 capítulos.

Em conclusão…

Utilizar as 3 etapas descritas aqui pode ajudar você a dar um gás na sua história e evitar o bloqueio criativo.

Nesse sentido, faça o teste e veja se esse método funciona para você. E se funcionar, me conta o resultado aqui nos comentários!

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.