Pular para o conteúdo
marina and the diamonds electra heart

Starring Role: Electra Heart busca por protagonismo

Marcações:

Em Starring Role, encontramos Electra Heart imersa em um relacionamento novamente.

Ao que tudo indica, ela e o marido reataram o casamento, mas Electra não se mostra tão confortável com esse novo começo.

O que mais nos chama atenção em Starring Role é o humor com o qual encontramos nossa protagonista.

Electra parece ter aprendido uma lição com o baque recebido em Lies porque agora soa mais fria e calculista, como se estivesse começando a enxergar uma nova realidade.

Electra parece ter entendido que os relacionamentos precisam ser igualitários. E isso significa que nem sempre ela precisará se colocar de lado pelo bem do outro e nem sempre precisará ser perfeita.

Aqui, encontramos uma face bastante cruel do relacionamento amoroso.

Electra e seu marido vivem uma relação fria e distante, onde nenhum dos dois demonstra carinho ou interesse.

Mas continuam juntos por convicção e teimosia. Electra sabe que esse homem não a ama e que nunca amará.

Ela diz que é difícil conversar e abraçar, que ele só se abre quando eles estão na cama e que isso a deixa em depressão, mas ela não sai do lado dele.

Electra prefere continuar com aquela relação de mentira do que abrir mão de um casamento novamente e quebrar sua fantasia.

Procurando o protagonismo em Starring Role

O refrão de Starring Role é bastante importante para o relacionamento atual e nos dá pistas do futuro dos arquétipos na vida de Electra:

“It almost feels like a joke
to play a part
when you are not the starring role
in someone else’s heart”

Em simples quatro linhas, podemos analisar diversos aspectos da vida de Electra. Primeiro, na dinâmica do casamento: Electra está cansada de não ser a protagonista.

Ela quer que o marido a ame, quer ser a primeira no coração dele, mas não consegue e isso a frustra.

Também temos uma alusão ao fato de que Electra está atuando no casamento e na vida dela.

A mulher que deita ao lado do marido todas as noites é uma personagem, alguém que só aceita esse tipo de relação por não querer ficar sozinha.

E, mesmo atuando como a esposa perfeita, Electra ainda não tem o protagonismo no coração do marido.

Electra Heart está amando

E uma pista para o motivo de Electra não desistir desse casamento é que ela está amando. Claramente, esse relacionamento é fruto do idealismo dela e representa muito mais do que amor.

Porém, em determinado momento, Electra diz:

“I never sent for love
I never had a heart to mend
because before the start began
I always saw the end
Yeah, I wait for you to open up
to give yourself to me
But nothing’s ever gonna give
I’ll never set you free
Yeah, I’ll never set you free”

Ela se refere a todos os relacionamentos anteriores que sempre acabavam antes mesmo de começar, mas esse é diferente.

Parece haver muito mais em jogo aqui, portanto ela diz que vai esperar o marido se abrir para ela.

Electra não está satisfeita, mas não está pronta para deixar esse homem ir. E isso é Electra Heart amando da maneira como aprendeu: idealizando algo e lutando até o fim por sua “felicidade”.

O Complexo de Electra de Carl Jung

Em Starring Role, existe a única citação à família de Electra que encontraremos em toda a história:

“You’re like my dad
you’d get on well
I send my best regards from hell”

No século XIX, o pai da psicanálise, Sigmund Freud, cunhou uma teoria que até hoje gera polêmica.

O Complexo de Édipo afirma que o menino vê no pai uma imagem semelhante a sua (já que eles têm os mesmos genitais) e sente ciúmes do pai por isso.

Assim, o complexo de Édipo diz que os meninos, ao tomar consciência que seus corpos masculinos, questionam a autoridade dos pais e querem ocupar seus lugares.

Freud não previu a versão feminina dessa teoria por achar que não fazia sentido.

Carl Jung, portanto, cunhou o Complexo de Electra, que fala exatamente a mesma coisa, mas em relação às meninas: elas sentiriam ciúmes da posição da mãe e quereriam tudo o que ela tem, incluindo a atenção do pai.

Não pode ser a toa que Marina nomeou sua personagem de Electra e escreveu uma linha em que citava o pai, quando as músicas mal citam a vida dessa personagem antes dos arquétipos.

O interessante é que há quem acredite que mulheres buscam um companheiro que espelhe os seus pais, mesmo que inconscientemente.

Em Starring Role, Electra diz que seu marido é parecido com seu pai e que eles se dariam bem e isso nos dá o que pensar sobre o tipo de estrutura familiar que a Electra teve.

Será que seus pais se amavam? Seu pai batia na mãe? Será que ele não abusava da filha? Os pais dela tinham uma relação tão horrível quanto a que ela tem com seu marido?

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.