Pular para o conteúdo
Primadonna: a imersão de Electra Heart em si própria

Primadonna: a imersão de Electra Heart em si própria

Marcações:

Em uma entrevista, Marina disse que Primadonna, segunda música de Electra Heart, é uma música sobre aquela parte da alma feminina que gosta de fazer drama.

A primadonna é teatral e joga charme para conseguir o que quer. Nessa música, encontramos Electra Heart completamente imersa em uma autocelebração.

Você vai conferir:

A popularidade nas redes sociais
O egocentrismo de uma primadonna
A depressão por trás da euforia

Ao que parece, ela conseguiu a atenção que queria. O desejo de se tornar uma bubblegum bitch se realizou, mas agora ela cresceu.

Electra não é mais uma garota implacável, mas uma mulher egocêntrica, manipuladora e passional.

A popularidade nas redes sociais

Na letra de primadonna, Electra deixa claro que ela é popular agora.

Ela diz para “tirarem uma foto porque ela está com os meninos”, fala que não quer sair dos holofotes e diz ao ouvinte que o tem entre seus dedos.

Toda a narrativa dessa música dá a impressão de que ela é muito influente e manipula as pessoas a seu favor.

Em resumo, Electra está imersa em uma auto adoração e, certamente, seria uma famosa de Instagram, se vivesse no mundo real.

O grande objetivo das redes sociais sempre foi aproximar as pessoas usando da tecnologia da internet.

Mas, hoje, a comunicação com as pessoas se tornou apenas um detalhe.

Não postamos uma foto no Instagram ou compartilhamos uma reportagem interessante no Facebook apenas por fazer… temos intenções com essas atitudes: nos promover enquanto pessoas e evidenciar nossos gostos.

Em dado momento, Electra diz “Fill the void with celluloid” (preencha o vazio com celuloide), ou seja, não é um crime usar filmes (fotografia ou vídeo) para esconder seu vazio interior.

E isso pode ser interpretado como uma grande crítica ao culto do eu praticado pelas celebridades de internet.

O egocentrismo de uma primadonna

A Electra de Primadonna não está preocupada com os outros.

Mas apenas com ela mesma e com a atenção que ela acha merecer. E isso a torna uma pessoa difícil de se lidar, como é apontada por ela mesma na música.

Ela é difícil, mas, provavelmente, é culpa dos outros:

“You say that I’m kinda difficult
but it’s always someone else’s fault”

Electra tem todos a seus pés, especialmente o ouvinte da letra de Primadonna que, certamente, é um namorado.

Ela o provoca, promete um mundo de completa diversão e mau comportamento, enquanto pede em troca apenas amor e veneração.

Ainda é uma música sobre desejo, assim como Bubblegum Bitch. Electra ainda é uma jovem perdida que apenas quer ser adorada e aqui ela está contente porque acha que conseguiu.

Ela encontrou um rapaz que está disposto a ficar com ela e ela quer casar. Nos primeiros versos da música, ela diz:

Would you do anything for me?
Buy a big diamond ring for me?
Would you get down on your knees for me?
Pop that pretty question right now, baby”

Ela o tem em seus dedos e é a musa inspiradora dele, exatamente como ela queria.

Mas, obviamente, essa imersão em si própria e em sua felicidade de atingir o sonho acabam nublando a visão que ela tem dessa relação e dela mesma. 

A depressão por trás da euforia

Electra se acredita uma pessoa feliz porque tem a atenção dos outros e é desejada pelo homem que está ao seu lado, mas ainda assim diz que:

It’s sad to the core
every day’s such a chore

O que releva que é aquilo pode ser triste, que não ter um limite na sua vontade de ter tudo é um fardo, é maçante e é chato.

A vida de Primadonna deveria ser mais fácil, mas Electra se viciou tanto em querer e ter que tudo acaba não sendo.

Electra tem uma miserabilidade e uma eterna sensação de insatisfação escondida sob seu ego gigantesco. Ela vive um momento frenético e acredita na ilusão de que tem tudo.

Mas Electra Heart não sabe quem é. Ela acaba aderindo à personalidade de primadonna e se deixa encontrar nos olhos dos outros, no reflexo que vê neles.

Ela está tão perdida no mundo de auto apreciação que esquece de dar pistas sobre a verdadeira Electra para quem está ouvindo a música.

Em Bubblegum Bitch, nós temos um flash da menina solitária que resolve se esconder atrás dos arquétipos, mas aqui não há nada disso.

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.