Pular para o conteúdo
Living Dead: Electra Heart resolve acordar para a vida

Electra Heart: acordando para a vida em “Living Dead”

Living Dead é a primeira música do álbum em que encontramos a Electra Heart de verdade, sem a interferência dos arquétipos.

Enquanto nas sete músicas anteriores, os arquétipos faziam a frente e tínhamos apenas relances dessa personagem, aqui a vemos por inteiro.

Electra é uma mulher frustrada, com um sonho falido e magoada pelas escolhas que fez. Ela se sente perdida na vida miserável que vive e se mostra com muita raiva nesse ponto da história.

Essa é a música mais enérgica do álbum, tanto pelas batidas fortes quanto pelos vocais rasgados de Marina. Ela é intensa na interpretação da letra e reflete o que passa na cabeça de Electra.

Nesse ponto da história, encontramos Electra agitada e confusa, com uma sensação terrível de desperdício. Ela sente que teve várias experiências, mas que não viveu nenhuma delas.

 

 

Electra Heart se vê resumida em Living Dead

Living Dead foi a primeira música escrita para o Electra Heart e resume muito bem o clima do álbum. Para entender bem o poder dessa letra para o álbum, e para a criação de Electra Heart, é essencial lembrar de Marilyn Monroe.

A sex symbol mais conhecida do mundo era um personagem sustentado por Norma Jean, era uma persona que a levaria ao estrelato. Todos ficavam encantados com Marilyn e não com Norma Jean.

Então, essa menina, e os produtores de cinema da época também, se aproveitou disso e escondeu a persona original.

Nessa dinâmica, Marilyn era o motor que levaria Norma Jean ao sonho realizado, mesmo que Norma Jean precisasse desaparecer.

Dessa mesma maneira, Electra desenvolveu uma nova personalidade, baseada em arquétipos, para chegar na vida e no amor perfeito que ela via na televisão.

No final das contas, todas as aventuras de Electra nesse álbum não foram vividas por ela, propriamente, mas pelos arquétipos.

Por isso, Living Dead transpira uma sensação forte de frustração e rebeldia. Electra entende que, por conta de uma busca desenfreada por um sonho, perdeu de viver experiências únicas e valiosas.

Electra Heart é apenas uma espectadora

A letra de Living Dead nos diz que Electra não sabe o que é o amor e que ela nunca experienciou isso. Ela apenas viu enquanto os arquétipos desenrolavam situações e tomavam decisões no lugar dela.

É bastante preocupante analisarmos essa questão porque mexe diretamente com o psicológico da personagem.

Ela é apenas uma espectadora de sua própria realidade, dissociada de quem é e com a personalidade núcleo esquecida no vazio. Ainda no refrão, ela diz que tem vivido como morta, apenas fingindo que está viva.

E faz sentido nessa análise porque enquanto a persona está vivendo por ela, Electra está quieta dentro de si.

Ela finge que morreu para dar lugar aos arquétipos, mas continua lá dentro, observando tudo. Ela está vivendo, mas está anestesiada.

Aqui, também, percebemos uma irritação crescente que é bastante interessante. Electra diz que:

“Everyday I feel the same
stuck, and I can never change”

“got a bubble wrap around my heart
waiting for my life to start
but everyday it never comes
permanently at square one”

Isso resume a vida dela enquanto persona original deixada em segundo plano. Tudo se torna chato, igualzinho e ela está cada vez mais desgostosa com essa situação.

Percebendo que nunca viveu o que deveria, Electra quer descobrir o mundo, quer amar e quer ter experiências.

Electra quer que as coisas aconteçam para ela

Electra passou todas as sete músicas anteriores esperando que o seu momento chegasse, que sua vida perfeita começasse, mas essa vida nunca começou. Em Living Dead, já aceitando que essa perfeição nunca vai chegar, ela pergunta se valeu a pena.

Electra pergunta se merece isso também e ela sabe que não. Ela entende que os arquétipos só tomaram o controle porque ela estava machucada e magoada.

Ela diz isso na linha “It happens when you’re hurting”. Tudo aconteceu quando ela estava sensível e aberta a todas as soluções, fossem boas ou ruins.

Living Dead é decisiva no álbum porque ela dita o restante das músicas e o destino de Electra Heart.

Electra nunca viveu nada, foram os arquétipos

Living Dead nos dá uma nova perspectiva sobre os arquétipos na vida de Electra. Enquanto até agora, eles pareciam apenas ajudar a melhorar a performance dessa menina no mundo, nessa música entendemos que eles estão vivendo por ela.

Num trecho, Electra diz:

“lying down in a
glittery mist and I
I think of all the man that
I could have kissed”

Ela expressa mais uma vez desejo e, dessa vez, é desejo por algo verdadeiro. Ela está envolta em névoa, como num sonho, ironizando o lugar metafórico em que os arquétipos colocaram a personalidade núcleo.

Essa névoa é a vida incrível que Electra tem diante dos olhos dos outros, mas que deturpa a visão de mundo que ela tem.

Electra nunca beijou de verdade, nunca amou de verdade e nunca se envolveu de verdade com ninguém. Ela nunca amou o marido por ela mesma.

Foram os arquétipos e a busca pelo sonho que fizeram com que ela insistisse no relacionamento falido.

Living Dead é uma revelação intensa e uma revolução na história de Electra Heart. Além disso, essa música é um divisor de águas.

Esse é o momento em que ela acorda de verdade e que se decide em expulsar os arquétipos. Ela vai provocar a guerra que anunciou na música anterior.

Marina também criou uma personagem para levá-la ao sucesso

A verdade é que não há problema nenhum em criar um alter ego e encarnar uma persona para atingir algum objetivo.

Por exemplo, uma pessoa muito tímida pode interpretar um personagem extrovertido para apresentar um trabalho na faculdade. Todos nós passamos por momentos em que nos tornamos outras pessoas por determinado motivo.

O problema é quando nos perdemos nessa personalidade inventada e esquecemos quem somos.

A história de Electra Heart, nesse ínterim, reflete a trajetória da Marina imergindo em uma personalidade nova e que a levaria a ter uma fama maior.

A princípio, eu não tinha a menor ideia de quem era a Marina. Porém, depois de pesquisar e ler opiniões, eu descobri que ela só chegou a ser um sucesso mundial com Primadonna, primeiro single de Electra Heart.

A divulgação desse álbum durou um ano, período em que a Marina só se apresentava com o figurino e maquiagem de Electra. A personagem morreu, mas as pessoas ainda lembram da Marina por causa dela.

Seria muito fácil para a Marina se perder na fama que a Electra trouxe para ela, mas isso não aconteceu. Diferente de Electra, que foi erguida pelos arquétipos e não deixou deles quando estava no topo.

 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.