Pular para o conteúdo

Como organizar as ideias e começar a escrever um livro? [PERGUNTA DE SEGUIDOR]

Lá no meu Instagram (o @aleitoracritica), uma pergunta que sempre aparece nas caixinhas de segunda é: como organizar as ideias para começar a escrever um livro?

Isso porque muitas pessoas têm ideias e sabem sobre o que querem escrever, mas não sabem por onde começar e nem como montar uma estrutura para ter o mínimo de planejamento como apoio.

E foi pensando nisso que eu desenvolvi esse checklist.

Baseado em um planejamento micro que eu uso nas minhas histórias quando quero começar a escrever logo, esse checklist é direto e serve como ponto de referência para autores que não gostam de planejar.

É um checklist com 5 pontos (e um bônus) e leva pouco tempo para ser concluído.

Então, se você não sabe como começar a escrever o seu livro, continue lendo:

Checklist de como começar a escrever um livro e organizar as ideias

A ideia desse planejamento curto surgiu enquanto eu tentava definir o que ia acontecer em uma novela que estou escrevendo.

Eu queria começar a escrever logo, então não queria enfrentar toda a fase de planejamento que, se bem feita, dura cerca de 1 mês.

Portanto, cheguei em uma estrutura com 5 pontos essenciais que ajudam a colocar um norte na escrita sem engessar muito o processo. Confira:

como resolver o bloqueio criativo com 16 técnicas

1 Defina um título provisório

Esse é um ponto que muitas pessoas não acham essencial, mas que eu acredito que ajuda o escritor a deixar a história mais palpável.

Se referir a algo pelo nome que tem é poderoso (alô, Harry Potter), então dê um título provisório ao seu livro que ajude a resumir a história.

Quando estava escrevendo o primeiro rascunho de Orgulho e Preconceito, Jane Austen nomeou o manuscrito de “Primeiras Impressões”.

Este é um título provisório que capta toda a essência da história, então faça o mesmo.

Defina um título que você sabe ser provisório, mas que ajude a querer continuar escrevendo a história e que facilite que você fale sobre ela com as pessoas.

2 Faça um resumo da história em uma frase

Esse também não parece um ponto essencial à primeira vista, mas resumir a história inteira em uma frase facilita chegar no objetivo dela.

E isso é uma ajuda e tanto quando você estiver escrevendo e chegar em momentos em que vai precisar fazer escolhas.

A novela que estou trabalhando, por exemplo, pode ser definida como “a história de quando uma nativa da Ilha Continental se tornou adivinha na corte do rei e mudou o destino de uma guerra”.

É uma frase simples, mas que ajuda a não sair muito da linha.

Se algum dia, como exemplo, eu estiver escrevendo e quiser acrescentar uma subtrama sobre o casamento de uma princesa da corte, eu vou me perguntar como isso se encaixa no resumo.

E se não encaixar, se não for uma trama essencial, eu posso escolher não escrever e poupar meu leitor de uma história desconexa da trama principal.

3 Escreva um resumo completo e com spoilers

Esse é um ponto essencial porque, para começar a escrever, você precisa saber para onde a história vai.

Então, um passo importante é escrever um resumo cheio de spoilers sobre como a história vai começar, como vai ser o meio e como ela vai terminar.

Você precisa descrever nesse ponto como os seus personagens vão crescer e aprender, o que vai acontecer com eles e como todas as tramas paralelas vão se resolver.

É importante que nessa parte você vá resolvendo as pontas soltas e dando direcionamentos para si próprio.

Isso porque é a esse resumo que você vai recorrer quando estiver em dúvida sobre o que escrever.

4 Liste os pontos-chave de acontecimentos até o final

Depois que tiver o seu resumo, selecione aqueles acontecimentos que são essenciais para a trama e os descreva em uma lista.

Isso ajuda a definir quais são os pontos de virada e como o desenho da história vai acontecer. Alguns exemplos de pontos-chave que você pode definir são (em ordem de acontecimento):

  • o que vai tirar o protagonista da zona de conforto e, realmente, começar a história;
  • o que será a grande virada, aquilo que vai mudar tudo o que ele conhece;
  • o que vai marcar o clímax, onde o protagonista vai enfrentar seu maior desafio;

A partir de três pontos-chave simples, você já consegue começar a trabalhar os atos da sua história. Porém, você também pode acrescentar mais pontos se a sua história mostrar necessidade disso.

5 Distribua o resumo e os pontos-chave em capítulos

Depois de ter os pontos-chave definidos e o resumo escrito, você pode começar a distribuir a história em capítulos.

Isso ajuda a ter uma ideia de qual vai ser o tamanho da sua história e também pode servir como meta de escrita.

Por exemplo, depois de distribuir, você percebeu que serão 2o capítulos, então coloca como meta escrever 1 capítulo por dia.

Mas para além das metas, distribuir em capítulos ajuda a deixar a escrita mais clara e permite que você escreva cenas e acontecimentos fora de ordem se quiser (o que ajuda a evitar o bloqueio criativo).

Leitura beta, sensível e crítica: qual é a diferença entre elas

BÔNUS: Não esqueça de definir a temática do livro

Por fim, algo importante que deve aparecer no seu planejamento é a temática do livro, a “lição de moral” que o protagonista deve aprender.

O tema de uma história pode ser definida como a mensagem que a trama passa, a verdade que o autor queria gritar com essa história.

Por exemplo, o tema de O Senhor dos Anéis é que até a menor das criaturas pode fazer a diferença.

Isso aparece na história como o protagonista ser um hobbit, uma criatura pequena, mas que é o escolhido para livrar o mundo do mal.

E a importância de se ter um tema é ajudar o leitor a se conectar emocionalmente com os seus personagens.

Nesse sentido, o que você quer passar com a sua história? A temática é a resposta para essa pergunta.

E mais essencial do que ter uma mensagem para passar, é intercalar essa mensagem na trama dos personagens.

Ainda em O Senhor dos Anéis, existem outras tramas que incluem a temática: o ato de amizade de Sam sendo essencial na missão de Frodo, uma escolha feita por Arwyn que muda a maneira como ela vê o amor, a coragem de Aragorn de assumir o destino que lhe esperava, etc.

É importante que o seu leitor consiga perceber a mensagem intrincada com as tramas que você decidir tratar, assim ele próprio vai aprender essa lição.

Para concluir…

Esta é uma ideia de planejamento curto que está funcionando para mim e que eu resolvi trazer aqui para entender se pode ajudar vocês também.

Eu espero que sim e que vocês consigam começar a escrever a história que querem com essas dicas!

Leia também:

Como resolver o bloqueio criativo com 16 técnicas

Por que uma história movida pelos personagens é inesquecível

Como um amigurumi está me ajudando a planejar o meu primeiro romance fantástico


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.